Alimentação Adequada Para Treinos

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

O corpo do atleta é uma máquina que precisa gerar energia adequada para a realização dos treinos e competições. Sendo assim é indispensável que o combustível, no caso a alimentação, seja adequado. Desta maneira é essencial nutrir o corpo corretamente e estrategicamente para obter bons resultados e até mesmo evitar lesões, gripes entre outros problemas que a má alimentação pode acarretar.

A Alimentação do atleta é feita de acordo com o peso, idade, gênero, percentual de massa muscular e de massa gorda, modalidade, objetivos.

É importante destacar a água é um dos fatores que se deve mais atenção, e que não existe uma “quantidade diária certa” de água a ser ingerida, a média estimada é de estimada é de 0,35ml – 0,40ml por kg de peso.

Os macronutrientes presentes nos alimentos são: carboidratos, lipídeos e proteínas. Eles fornecem energia e substratos utilizados para as funções vitais do nosso corpo.

A alimentação adequada é fundamental na prática de exercício por fornecer energia, manter o atleta por mais tempo no exercício, retardar a fadiga, recuperar rapidamente e preservar o sistema imunológico.

Os carboidratos são importantes substratos energéticos para a contração muscular durante o exercício, principalmente no exercício prolongado realizado sob intensidade moderada e em exercícios de alta intensidade e curta duração.

A ingestão de proteína é essencial para que esta degradação seja compensada e que a massa muscular do corpo não entre num estado de défice proteico, evitando fadiga e atuando na melhora da recuperação muscular.

Já os lipidios ajudam na absorção de vitaminas lipossolúveis A, D, E e K. Dando mais atenção a ingestão de gorduras boas como: ácidos graxos monoinsaturados: azeite de oliva, óleo de canola, óleo de gergelim, nozes, abacate, castanha do Pará; ácidos graxos poliinsaturados Ômega 3: semente de linhaça, arenque, óleo de bacalhau, atum, salmão, sardinha, cavalinha, espinafre, couve e rúcula; ácidos graxos Ômega 6: óleo de soja, milho, girassol e algodão.

A suplementação muitas vezes se faz necessário quando a alimentação não consegue atingir as necessidades adequadas, como descrito abaixo:

Repositores hidroeletrolíticos: Bebidas esportivas com associação de carboidratos e eletrólitos para reposição de água e minerais durante o exercício;

Repositores energéticos: Produtos formulados principalmente com carboidratos, para alcançar ou manter o nível de energia necessário dos atletas;

Alimentos protéicos: Produtos com predominância de proteínas (do leite ou soja ou ervilha ou arroz), para completar as necessidades do esportista;

Alimentos compensadores como os hipercalóricos: Produtos com formulação variada de nutrientes – carboidratos, proteínas, gorduras, vitaminas e minerais – para completar a alimentação dos atletas;

Aminoácidos de cadeia ramificada: Produtos com concentrações variadas de valina, leucina e isoleucina, como fornecedores de energia. Estes aminoácidos são relacionados aos processos anabólicos do metabolismo e à redução de fadiga central em exercícios de longa duração.

Procure um nutricionista, ele irá ajudar a atender as necessidades adequadas. para cada indivíduo.

 

Géssica Carvalho – Nutricionista

CRN3: 331800

Compartilhe esse post com seus amigos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin